quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

cabeça dinossauro vol.1

ESGOTADO / leia aqui
___________________________________

Cabeça Dinossauro Vol.1 / Tiras 2012
A5 | 28 pags. | fotocópia
capa em carimbos de borracha
acompanha gravura de borracha em papel adesivo neon
tiragem limitada e numerada de 50 exemplares













"Começou uma discussão geral. Era estranho que jamais se considerasse a possibilidade de eu ser um dinossauro; a culpa que me era imputada permanecia a de ser um Estranho, um Estrangeiro, logo um Infiel; e o ponto controverso era o quanto a minha presença poderia aumentar o perigo de um eventual retorno dos dinossauros."
Italo Calvino, As Cosmicômicas (1965)


domingo, 24 de fevereiro de 2013

pugilismo matinal

Durante o café, como quem não quer nada, ela mandou uma indireta de esquerda bem no meio das minhas fuças. Pego assim, desprevenido, retruquei com uma palavra-cruzada no queixo. “Dramalhão mexicano, horizontal, 13 letras”. Sem titubear, ela emendou uma sequência de ganchos e trocadilhos que me fizeram perder o fio da meada. Atordoado, encurralado na corda-bamba, esquivei-me como pude, com evasivas e meias-palavras. Mas ela tinha experiência e um belo jogo de pernas. O gongo da torradeira me salvou da saraivada impiedosa de perguntas que viria a seguir.

Pagamos a pizza. Mal havia cuspido no prato em que comera, começamos o segundo assalto, sem chance de jogar a toalha. Lavamos a roupa suja sem ao menos separar as mentiras brancas. O árbitro desistiu de apitar os impedimentos e golpes baixos na pequena área. Já havíamos passado do décimo assalto, moídos, os superegos abertos, quando foi declarado o empate técnico. Contamos até dez e abandonamos o ringue, sem ressentimentos.



quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

sobras bobas (2006-2008)

gravei essas faixas um pouco antes de me mudar de brasília, mais ou menos junto com o factótum.
faltaram algumas coisas para completá-las, e acabei deixando de lado.
mas, pra não deixar isso aqui parado, juntei tudo em mais um álbum digital totalmente grátis.
espero que gostem.




18:48 | 16 mb

1. quem você pensa que é (você é)
2. extraterrestres na explanada
3. fogo no cerrado
4. sleep it off
5. não tenha pressa
6. fool around
7. rouco, brazil

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

minhas férias

Durante as minhas férias? Estrangulei um leão e arranquei a pele dele. Depois matei uma serpente com corpo de dragão e nove cabeças – mas nenhuma idéia interessante –, daí aproveitei para comer uma casquinha de caranguejo. Fiquei sem sobremesa, mas no dia seguinte apostei corrida com uma corça, capturei um javali e limpei o curral do rei em troca de uns trocados pra comprar ficha de fliperama. Atirei com arco e flecha em passarinho e fui às touradas, dei comida aos cavalos marinhos e roubei os cintos das velhotas do bairro. No último dia, matei um gigante que vivia roubando meu lanche no colégio, e brinquei com o cachorro do vizinho, de três cabeças e três rabos (o cachorro, não o vizinho), que comeu o meu dever de casa. Aí roubei goiaba no jardim e fiz um curso de musculação por correspondência. Então as férias acabaram e voltei ao trabalho.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Pindura + Monstros em SP

//
sábado, 16 de fevereiro
das 16 às 22hs
na Monkix Livraria
Rua Augusta 1492 / 21

evento no facebook





terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

homework

história minha que acabou de sair na coletânea eslovena WORKBURGER, aqui em cores.


.....................................................................................







sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

o rei está nu

Bons os tempos em que tentavam nos empurrar apenas a roupa do imperador. Isso já não é exclusividade da indústria da moda. Hoje em dia, vendem não só a roupa, mas a dieta, os acessórios, o perfume, a música, as convicções, o silicone, o penteado e as vitaminas do imperador. Vinte e quatro horas por dia, pelo telemarketing, outdoors, pop-ups, spams, flyers, filipetas, reclames, anúncios, bulas, comerciais, banners e cartões-postais e, o pior: FORA DELES. Os advogados, jornalistas e publicitários do imperador fazem muito bem o seu trabalho, e quanto mais eficientes, mais invisíveis. Está em toda a parte, estamos cercados e não há como correr. Mas o lifestyle do imperador também não é exclusividade das monarquias e do high-society, é democrático e aceita cheque, cartão, tíquete e caução, em suaves 365 parcelas (fiado, jamais), com juros de apenas 100% ao ano (e não estamos falando de dinheiro). Mas isso, infelizmente, nem todos conseguem ver.